domingo, 3 de maio de 2009

Meu diário secreto...

"O transtorno do pânico ou síndrome do pânico é uma condição mental psiquiátrica que faz com que o indivíduo tenha ataques de pânico esporádicos, intensos e muitas vezes recorrentes. Pode ser controlado com medicação e psicoterapia. É importante ressaltar que um ataque de pânico pode não constituir doença (se isolado) ou ser secundário a outro transtorno mental.
Indivíduos com o transtorno do pânico geralmente têm uma série de episódios de extrema ansiedade, conhecidos como ataques de pânico. Tais eventos podem durar de alguns minutos a horas e podem variar em intensidade e sintomas específicos no decorrer da crise (como rapidez dos batimentos cardíacos, experiências psicológicas como medo incontrolável etc.).
Alguns indivíduos enfrentam esses episódios regularmente, diariamente ou semanalmente. Os sintomas externos de um ataque de pânico geralmente causam experiências sociais negativas (como vergonha, estigma social, ostracismo etc.). Como resultado disso, boa parte dos indivíduos que sofrem de transtorno do pânico também desenvolvem agorafobia".


Sim... Eu sofro desse mal.
Eu pensei muito antes de falar sobre isso aqui. Não sinto vergonha em admitir o que tenho, mas os que estão a minha volta não veem assim.
Eu não sou totalmente dominada por isso. Não sei ao certo se é isso exatamente o que tenho, mas minhas crises são bem similares ao que está descrito acima.
Vamos começar pelo começo... Eu tinha feito quinze anos quando tive a primeira crise. Havia uma semana que eu tinha feito aniversário. Do nada, era como se todos a minha volta estivessem falando de mim. Como se estivessem falando mal de mim. E nada daquilo existia.
Eu estava numa escola nova, com um ensino melhor, e tudo pra mim era mt difícil. Eu sempre fui inteligente, não era a melhor da turma, mas não era a pior. E de repente, eu me sentia inferior, não conseguia acompanhar o que ensinavam, me sentia burra, me via diferente de todos. Era a pobre no meio dos ricos. Assim eu me sentia. Eu não conseguia ser amiga de ninguém. E passei a ter medo da sala de aula. Eu não conseguia assistir uma aula até meio-dia. Meu coração disparava, minha garganta ficava seca, meu corpo tremia por dentro, formigava, eu só chorava, não dormia.
Minha mãe chorava, pois não entendia o que eu tinha. Outros falavam que eu estava maluca. Eu ia numa psicóloga, e procurava ajuda espiritual a todo custo. Eu vivia na igreja. Perguntava a Deus porque aquilo estava acontecendo comigo. Fui ao fundo do poço, perdi tudo naquele ano. E assim como aquilo surgiu pra mim, desapareceu. Eu passei a acreditar que tudo aquilo era coisa da minha cabeça e assim eu melhorei. Tinha minhas doideiras, mas estava muito melhor.
Ano passado, eu arrumei meu primeiro emprego. Eu ia e voltava de carona, e na segunda semana de trabalho, eu tive que voltar sozinha. E na volta, a van onde eu estava foi assaltada, e sequestrada. Nos levaram pra dentro de uma favela. Levaram meu dinheiro, meu celular... Mas a sensação de que não sairia viva dali era gigante. Ver um cara apontando uma arma enorme pra todo mundo. Tendo uma criança ali dentro daquele carro, ouvindo que em qualquer deslize a cabeça de alguém seria estourada. Eu fiz xixi na calça sem sentir. Naquela noite eu não dormi, e pelas 2 noites seguintes também não. Eu fechava os olhos e vinha toda a cena na minha cabeça.
Durante um tempo eu fiquei bem, mas depois fiquei mal. E estou até hoje.
Tenho muito nervoso, cheia de manchinhas roxas de melancolia pelo corpo, tive que tomar remédio tarja preta, perdi o emprego, tenho medo de tudo. Não vou a qualquer lugar. Quase não saio mais sozinha. Ando pela rua, olhando todos a minha volta. Fico com medo se acho alguém estranho demais. Entro no ônibus e fico olhando tudo. qualquer coisa me descontrola. Um susto mínimo, faz meu coração disparar, fico gelada, tremendo... Comecei a fazer terapia, mas faltou dinheiro e tive que parar.
Na minha faculdade, meu curso é só a noite. É a pior parte pra mim. Sinto medo, nervoso. Toda terça-feira largo mais tarde e volto pra casa passando mal de tanto nervoso. Venho tremendo, com o coração batendo forte demais. Parece que vou enlouquecer. Todos os dias eu acordo, pensando em abandonar o curso, ir fazer outra coisa pra estudar de dia. Mas vou estar desistindo do meu sonho. Só que é insuportável sentir todos esses transtornos. Já cheguei a pedir a Deus pra me levar, pois não suporto mais isso. Muitos achando que sou pertubada... E vendo a minha mãe se desdobrar pra que eu fique bem.
Quase não saio mais de casa... Fico o dia inteiro na internet. Tenho medo de ir a qualquer lugar. Meu medo é ficar no meio da rua, não nos locais fechados. Eu preciso trabalhar, preciso de dinheiro... Mas eu tenho medo de ir a qualquer lugar longe.
Há dias em que estou muito bem, mas depois eu fico mal... Mal saio da cama. Choro a noite quase toda, parece que sou um peso pra todos. Pior, é que só de pensar nas situações que me causam medo, eu já começo a ficar com falta de ar. Já estou tremendo. Foi por isso que eu consegui emagrecer os kg que eu falo. Só que agora cheguei ao ponto da fome excessiva. Claro que a academia ajudou e muito, mas teve vezes em que quase tive crise de hipoglicemia por aparecer lá sem comer e fazer aula de jump. Era por não ter fome.
Vcs não imaginam como em faz bem os comentários de vcs no blog, as palavras de carinho, me confortam demais. Mesmo vcs não sabendo o que acontece, me ajudam com essas palavras. Nos meus dias de total depressão, eu penso em deletar tudo aqui e sumir. Mas aí lembro que tem tanta gente legal que gosta de mim, e acabo voltando.
Eu não quero que me vejam como uma doente, uma coitadinha, que tenham pena. Eu resolvi abrir isso a vcs numa forma de alerta. Tem muita gente que sofre e não sabe o que tem.
Se algum dia, sua filha, sua mãe, sua irmã, ou uma amiga estiver com os mesmos sintomas que eu, não pense que ela tá maluca. Ela precisa de ajuda. E principalmente de carinho. Até uma palavra dita num tom de voz mais alto, consegue fazer um estrago enorme. Não julgue, ajude!

Bjos,



P.S.: Se vc tem alguma história, algum caso pra contar, que sirva de alerta ou que queria dividir pode mandar... A identidade não vai ser revelada, eu mudo nomes, tudo... Mande um email direto pra mim, não precisa comentários... cassia.gavetadecima@hotmail.com
Assim como espero que o meu caso, ajude muita gente, o seu tbm pode me ajudar.

9 comentários:

Paula Cavalcante disse...

Oi, Linda!!! Deixei um selinho pra vc lá no blog. Bj! Paula.

www.makesandafins.blogspot.com

disse...

Oi Cássia... olha a coincidência, justo hoje, pelo link do blog da Paula, vim parar aqui no seu cantinho. E adivinhe? Sofro deste mal Há 8 anos tbm.
:(
Coisa bem chata, né.
Estou sem trabalhar e com a facul trancada por causa disso. sair de casa é um parto. Sozinha... nem pensar.
Pelo que descrevestes, as manifestações de crise são diferentes, os motivos, é claro q diferentes tbm, mas os sintomas.... essa mesma coisa.
Me trato há anos, com remédios e psicoterapia, mas melhoras consideráveis não posso te dizer que tive.
Mas bora lutar, havemos de encontrar a paz e a coragem de volta, a vover nossas vidas normalmente, cumprir nossos compromissos.
Você não é coitadinha não... é uma lutadora, tenho certeza. Sei que temos que fazer um esforço enorme para conseguirmos enfrentar o dia-a-dia, por isso já te admiro.
Cássia, vou torcer muito para que você fique bem, que consiga ir às aulas,e não deixe a faculdade. Mas se acontecer, todos os dias Deus nos dá uma outra chance, e nunca é tarde para agarrá-la.

Não desista dos seus sonhos, que eu não desisto dos meus. Vamos combinar?
:)

Estou te adicionando lá no blog, e tbm te espero para uma visitinha. Vou sempre passar por aqui para ver como está. E mesmo sem me conhecer, pode me procurar lá se quiser conversar, viu.
Vamos nos ajudar e sair dessa.

Beijos... e muita força, menina.


www.derepente20s.blogspot.com

Bonitas e bacanas disse...

Cássia, que chato.

Nossa, ser assaltado é um trauma mesmo.

Mas não há tratamento grátis? Em hospitais públicos e tal?

Bom, acho que deve haver, mas não tenho a menor ideia sobre qualidade ou número de vagas, né?

O sistema de saúde do país todo é um lixo, mas acho que vale a pena vc procurar, né?

Bjsssss

Camila Araújo disse...

Oie, hj foi a 1ª vez que acessei seu blog e "vualá"... eu tive Síndrome do Pânico! Hj me considero curada, continuo sendo maluca, + da Síndrome tô joínha. Eu fiz terapia, tomei remédios e cheguei a conclusão de que eu teria que melhorar sozinha, e fui lutando.
Qdo ia sair com meus amigos, lá vinha a danada da Síndrome e eu dizia: sai pra lá q vc não vai estragar minha noite. Tinha crises horrorosas à caminho das baladas, + eu ia. E assim fui conseguindo melhorar.
Sei que o modo de lidar com isso é diferente de pessoa para pessoa, mas força na peruca amiga! Vc vai ficar bem... e se precisar de qq coisa... é só mandar um e-mail q conversamos tá.
E qdo tiver crise lute contra ela, respire fundo que vai ficar tudo bem!
Beijocasss

Lily Zemuner disse...

Cássia, vc sabe que não está sozinha, né?
Minha mãe tbém teve, fez tratamento, toma remédios e está bem, faz tudo como uma pessoa normal. Aliás, ela diz que só toma remédios qdo sente que vai ter alguma coisa, mas no geral, nem isso precisa. Mas ela sofreu muito antes de conseguir superar e todos nós sofremos junto com ela.

Lendo seu relato, apesar de tudo, te achei extremamente forte, pq enfrenta seus medos ao invés de se trancar em casa. Não se sinto sozinha, não desanime, eu tenho certeza que vc vai conseguir. TENHO CERTEZA!

B-jinho.

Bonitas e bacanas disse...

Eu tô trocando de endereço (éramos eu e uma amiga, mas ela desistiu), então não tá terminado. Devo terminar amanhã e te passo o link, tá?

Estou terminando tbém as suas perguntas

Bonitas e bacanas disse...

Isso, abre!
Se não vender nada, vc não tem lucro, mas não tem prejuízo algum, né?

Amanhã te mostro o meu

bjsss

Bonitas e bacanas disse...

Tem Renew a partir de 25 anos só, né?

Mas a Avon tem outros cremes, já viu?

Bruna disse...

Cássia, fiquei até emocionada com teu post. Tenho este problema também, começou td muito de repente, com faltas de ar e uma angústia e medo inexplicáveis. Fiz todos os exames, fui encaminhada para uma ótima psiquiatra e o diagnóstico: depressão atípica com crises associadas de pânico. Desde então, tô tomando remédios (antidepressivos) e um outro tranquilizante (tarja preta) para amenizar os sintomas do pânico, enquanto a não faz efeito o antidepressivo. Tive que me afastar do trabalho (numa das crises desmaiei e minha médica me proibiu de trabalhar), das aulas... de tudo! Fui viajar no feriado na tentativa de me distrair, mas é em vão... Espero que tudo isso passe e tenho certeza que vai passar. Você e eu não estamos sozinhas nessa, tenho certeza disso! E precisando, tô por aqui. Teu blog é lindo e não desanima não, que nada como um dia após o outro pras coisas ficarem bem. Beijão e fica com Deus!

Para honra e glória.

Para honra e glória.