sexta-feira, 14 de maio de 2010

O que mudou na forma como me vejo

Bem, hoje resolvi contar pra vocês o  que é ser blogueira pra mim.
Acho que a maioria sabe como me tornei blogueira. Comecei escrevendo textos... Histórias sem final feliz, lá no Porta Jóias pra aliviar minha tensão. Sim tensão. Como sabem, eu sofro de síndrome do pânico. Fiquei assim depois de um assalto e não é uma história muito bonitinha de se contar.
Como eu sentia que já havia perdido  tudo e estava extremamente triste, precisava de algo que ocupasse minha mente. E eu tinha a necessidade de escrever longos textos e visitar blogs que tivessem também textos enormes, pra deixar minha mente  trabalhando. Até que me rendi aos blogs de beleza.
De início era uma coisa muito estranha. Comecei  a ver marcas  importadas, e tudo  aquilo que eu não podia comprar. Afinal, eu sou pobre, e  tudo que me agrada custa caro. Eu queria ser diferente, mas fazer o que? Parece que é algo  que atrai. Quando a vaca aqui em casa  tá gorda, só quero coisa barata. Quando ela tá anoréxica, só quero tudo que o dinheiro não dá.
Mas sabe o que eu aprendi  com o blog? A me aceitar como eu sou. Imagine uma menina que estudava, trabalhava, resolvia tudo sozinha e de repente não tem mais o seu dinheiro, não consegue mais sair  de casa e pára de estudar. Sim, eu adoro estudar e fiquei mais depressiva ainda quando tranquei a faculdade. Fora que eu sou a pessoa mais traumatizada com isso de corpo perfeito, beleza e tals. No meio desse turbilhão de emoções, eu consegui colocar na minha cabeça, que  se eu ficasse me reparando e me reprovando por um defeito ou outro eu ia pirar de vez. E vou confessar uma coisa, eu nunca  me senti tão bonita quanto agora. Sabe aquele dia que você acorda super mal, com uma vontade  de chorar, uma tristeza do cão, e  quando se olha no espelho vira e fala:  Caralho, como eu to  linda! Isso  tem acontecido constantemente comigo.
Claro que eu ainda tenho que melhorar muito. Ainda  tenho minhas paranóias com peso, mas não deixo mais de sair de casa porque estou me sentindo gorda. Eu quero  ser magra, lógico, mas não fico mais me desmerecendo pela forma que eu estou.
Quando eu falo  que emagreci 16kg, todo mundo acha o máximo. Eu também  acho. Mas a coisa como consegui isso  é muito dolorida. Em depressão tudo é difícil, ainda mais quando você toma os remédios pra controlar isso. Chegava a dizer que não há vida sem Rivotril.
O tratamento é difícil. Os remédios dão efeitos colaterais horríveis. E acontecem coisas no seu corpo que você não entende. Mas bem que é maneiro ter uma menstruação que só dura 2 dias. Fora as variações de humor. Totalmente bipolar  eu estou.
Agora imagina se no meio disso tudo eu ainda parasse pra pensar no quanto eu sou feia, no quanto eu sou gorda, no quanto eu sou isso, nno quanto eu sou aquilo. Aprendi a olhar o que me agrada na minha aparência, e a valorizar isso. Porque acham que eu gosto tanto de maquiar meus olhos???
Dia desses  uma moça me falou sobre meu piercing no nariz. Que ela tem vontade, mas acha o nariz feio. E daí? Se ela acha bonito faz. Ela vai ficar  feliz e pronto. O que os outros acharem não importa.
E é isso  que eu sempre  quero passar pra  vocês. Veja  sempre seus pontos fortes, tudo aquilo que acha bacana e passa a valorizar mais. E é assim minha relação com a maquiagem. Quando eu me pinto, me sinto bonita, poderosa, mais confiante. Mesmo quando eu não vou sair, eu até me arrumo, só pra não perder o custume de sempre estar bonita.
Agora, vocês já sabem porque eu sumo as vezes. Quando eu to com vontade de morrer, de sumir. Minhas paranóias agora são em ficar boa, voltar a estudar, voltar a trabalhar.
E de verdade, aquele vazio e sentimento de inferioridade eu não sinto mais.
Ultimamente tive perdas, tanto de amizade quanto de bofe. Com isso me fechei e simplesmente vontade de fazer nada. Meus posts andam meio curtinhos. E eu odeio isso. sou muito crítica em tudo que faço e tendo dar meu melhor. Então por favor, ando meio pra baixo e sem vontade... Me desculpem. Até o prazer de ficar arrumada dentro de casa não tá rolando.
Mas em meio a tudo isso, consegui uma vitória. Fui na outra rua, fazer as unhas SOZINHA! Tá, pra você pode não ser importante, mas pra mim que há quase dois anos vivo trancada e dependente dos outros, é uma coisa muito grande e muito boa.
Fazia tempo que não falava sobre isso,  mas falei porque sei que tem muitas meninas que passam por isso, assim como eu não tem muito apoio dentro de casa. Fica ouvindo que está perdendo sua vida, mas ninguém sabe o que a gente passa.
Não sei quanto tempo vou deixar esse texto aí, mas até eu enjoar.
Sim, estou tomando remédios do tratamento. Tenho dores de estômago, a pele toda bichada, durmo horrores, dias de disposição e dias de moleza.
Daqui pra frente vencer mais barreiras, voltar a estudar, trabalhar... Não sei se vou viver pra isso, mas se viver, vou tentar.

10 comentários:

Dani disse...

oi linda ! td bom ? em minhas orações vou incluir vc tá ! Deus abençõe vc ! bjinhos

Carolina disse...

Vai sim, Cássia! É meio frase de para choque de caminhão, mas um dia você vai rir disso tudo! =D
[vou te mandar um e-mail, ok?]

=***

Amanda disse...

Nossa sei bem o que está passando tbm já passei por isso, tive tambem TP, e nossa me sentia horrível, mas hj estou ótima, tbm não conseguia ir até a esquina sozinha. foi uma barra, mas hj tudo tem estado sob controle, mas desejo melhoras pra vc, daqui a pouco vc vai ver que tudo passa, bjos

Lebrasill disse...

Deus sabe de todas as coisas..
Voce não sabe o carinho que as pessoas q estão atras dessa telinha tem por voce..nunca desita por nós..vc nos cativou e vc se tornou responsavel por tudo isso...não é?
Parabenssssss pelas unhas...é uma pequena vitoria das grandes que surgirão em sua vida!!
quando quizer conversar me procure....
beijos
Leticia
www.donamariquinha.com

Cássia disse...

DANI
Muuuuuuito Obrigada. Que Deus te abençoe muito.

CAROL
Vi seu email gatona...

AMANDA
Se Deus quiser...

LETÍCIA
Muuuuuuuuuuuuuuuuuuito Obrigada... Olha, quase me fez chorar. Não sabia disso tudo não. Obrigada mesmo.
Vou te visitar sim.

Lebrasill disse...

Magina Flor estamos aqui pra isso..eu vim pra blogosfera pra conseguir sorrisos..e a cada sorriso que eu consigo me sinto vitoriosa..vc conseguiu me fazer sorrir muitas vezes...e tenho um carinho imenso por você.......
Ahhh como eu queria que fossemos vizinhas!!....
Mas podemos não ser vizinhas fisicamente mas somos vizinhas do coração....e isso é o mais importante..como dizem só o amor constroe pontes indistrutiveis...
Beijuss Lindonaaa!!

Marina Holanda disse...

Cá,
só de vc abrir seu coraçãozinho e nos permitir participar do teu mundo (com essas situações chatas e sentimentos estranhos), merece muito mais que mais que o meu respeito e consideração! Merece meu amor!
=)
Fica com Deus!

natana disse...

nossa,leio o blog,mas nunca pensei que vc passava por tudo isso!
tudo o que eu te desejo é muittttaaa força pra seguir em frente e se curar ;)

mcconterato disse...

Oi Cássia, nossa sei muito bem pelo q está passando.
Eu estava para completar 18 anos qdo tive Síndrome do Pânico.Imagine, todas minhas amigas se divertindo com a maioridade e para mim nada importava.No meu caso foi mais difícil, pois ainda não se falava desta doença, de tratamento nem nada...tive q passar por vários especialistas até descobrir o q tinha.
Fiquei mais ou menos 1 ano enclausurada, mas não desisti.Tirei minha habilitação, mesmo durante crises horríveis.
Meu médico não acreditava muito na minha cura, pois para ele tb era novidade...mas o q importa é que já se passaram 13 anose eu estou ótima!Hje sou advogada, tenho um super namorado e sou muuuiiiito feliz!!!
Posso dizer q a doença me fez levar a vida de modo mais light, sem muita cobrança...e qdo a ansiedade pega, eu paro um pouco e penso no q vivi, e fico muito feliz em perceber q sobrevivi.
Muita força para ti, e muita fé, q tudo passará, acredite!!!!
Bjinhos

claudia disse...

Oi Cássia, nossa sei muito bem pelo q está passando.
Eu estava para completar 18 anos qdo tive Síndrome do Pânico.Imagine, todas minhas amigas se divertindo com a maioridade e para mim nada importava.No meu caso foi mais difícil, pois ainda não se falava desta doença, de tratamento nem nada...tive q passar por vários especialistas até descobrir o q tinha.
Fiquei mais ou menos 1 ano enclausurada, mas não desisti.Tirei minha habilitação, mesmo durante crises horríveis.
Meu médico não acreditava muito na minha cura, pois para ele tb era novidade...mas o q importa é que já se passaram 13 anose eu estou ótima!Hje sou advogada, tenho um super namorado e sou muuuiiiito feliz!!!
Posso dizer q a doença me fez levar a vida de modo mais light, sem muita cobrança...e qdo a ansiedade pega, eu paro um pouco e penso no q vivi, e fico muito feliz em perceber q sobrevivi.
Muita força para ti, e muita fé, q tudo passará, acredite!!!!
Bjinhos

Para honra e glória.

Para honra e glória.